LiveZilla Live Help
Chapecó (49) 3319.5500 São Miguel do Oeste (49) 3631.7200
Quinta-feira, 15 de Maio de 2014 14h6
Um marco na mobilidade: MAN conduziu o primeiro caminhão a diesel com injeção direta 90 anos atrás

O novo processo produziu o motor a diesel suficientemente leve e compacto para servir em um veículo automotivo.

Em 12 de março de 1924, os engenheiros Sturm e Wiebicke da MAN partiram da fábrica em Augsburg, em direção a Nuremberg em um caminhão Saurer da M.A.N. O caminhão plataforma de 4 toneladas era movido por um motor diesel experimental que pela primeira vez injetava combustível diretamente nos quatro cilindros. 

Com cerca de 40 HP de disponível, os pilotos de provas conseguiram completar a viagem de 140 quilômetros em 5 horas e meia. Esta viagem bem sucedida foi o batismo de fogo para a tecnologia que possibilitou a construção de um motor diesel econômico suficientemente compacto para ser usado em veículos automotivos pela primeira vez. 

O processo de injeção direta é de fundamental importância, diz Bernd Maierhofer, Membro do Conselho Executivo para Pesquisa & Desenvolvimento da MAN Caminhões e ônibus: "O primeiro MAN diesel com injeção direta representa um marco na tecnologia de motores. Pode-se ver ainda hoje o seu enorme impacto: todos os motores a diesel modernos sejam para carros ou caminhões usam o princípio de injeção direta. A sua versão mais recente é a injeção common-rail. Nós a usamos em todos os motores MAN a diesel, pois ela nos permite controlar de forma eficiente o processo de combustão no cilindro."

Solução: bomba injetora e bicos de injeção 

Rudolf Diesel patenteou o primeiro motor diesel em 1897. Até meados da década de 1920, os motores a diesel eram usados apenas como motores estáticos em fábricas ou na alimentação de navios, por causa de seu tamanho e peso. Os primeiros caminhões e ônibus M.A.N. Saurer eram equipados com motores a gasolina.

Entre 1919–1923, a MAN continuou trabalhando no desenvolvimento de motores diesel para uso em veículos automotivos. Foi preciso resolver dois grandes problemas técnicos no desenvolvimento do motor diesel para veículos comerciais: em primeiro lugar, tecnologia de acionamento teve que ser reduzida em tamanho para que o motor pudesse caber sob o capô e, em segundo lugar, foi necessário dispensar o pesado compressor de alta pressão, sedento de força. Sua finalidade era comprimir o ar necessário para forçar o combustível para dentro dos cilindros do motor. 

Injeção de combustível sem injeção de ar foi um grande passo à frente. O ar de combustão é comprimido para 20 unidades de atmosfera (20 bar) dentro do cilindro pelo o movimento ascendente do pistão, provocando seu intenso aquecimento. O combustível é injetado para o ar altamente comprimido. A combinação da atomização fina do combustível com a alta temperatura do gás provoca a ignição da mistura.

A injeção do combustível no ar comprimido dentro do cilindro só poderia ser obtida por meio de uma bomba injetora mecânica para forçá-lo para dentro das válvulas de injeção sob pressão muito alta. As válvulas de injeção atomizam o combustível em gotículas aumentando, assim, a sua combustibilidade. Era preciso um alto grau de precisão para construir a bomba injetora, que foi fabricada pela própria MAN.

A disposição das válvulas era também um fator crucial para o sucesso do processo de injeção direta. No novo motor M.A.N., o combustível foi injetado por meio de dois bicos abertos instalados nos lados da cabeça do cilindro. O alinhamento tangencial dos bicos permitiu que o combustível injetado se misturasse com o ar comprimido no interior do motor. 

Os primeiros três motores experimentais foram construídos em Augsburg, em 1924 e testados com sucesso em um caminhão e um arado motorizado. Esses primeiros motores a diesel com injeção direta tinham diâmetro interno de 105 mm, produzindo entre 35 e 40 HP e, 1,000 RPM e pesando em torno de 420 kg. 

Estreou no Salão do Automóvel de Berlim em 1924
No primeiro semestre, o caminhão teste percorreu 2.500 quilômetros antes de a MAN apresentar a sua inovação no Salão do Automóvel de Berlim em 10–18 de dezembro, 1924. 
O engenheiro Sturm fez questão de dirigir pessoalmente o caminhão para o Centro da mostra de Berlin. A viagem desde Nuremberg durou dois dias. No caminho não houve falhas, exceto algumas válvulas sujas. "Viagem concluída de maneira satisfatória," escreveu Sturm em um telegrama para seus colegas da MAN, ao chegar a Augsburg.

O público e a imprensa de automobilismo ficaram igualmente impressionados. A revista da Associação Alemã de Engenheiros expressou seu veredito: "Em toda a área de motores de caminhões e de assuntos ligados a combustíveis, o motor diesel sem compressor da MAN é certamente a inovação mais significativa até hoje vista na exposição." O motor exibido no Salão do Automóvel de Berlim de 1924 está hoje em exposição no Deutsche Museum em Munique.

Injeção direta entre em produção em série 

Após o sucesso de Berlim, o caminho estava aberto para iniciar a produção em série do novo motor a diesel Series D 1580 B e, portanto, para a produção em massa dos motores diesel para veículos comerciais da MAN. Os primeiros clientes foram Kraftverkehr Bayern e o Reichspost (Correio Imperial) em Munique, Augsburg e Nuremberg que receberam, cada um, um veículo com motor diesel para avaliação. O primeiro cliente que comprou um caminhão com motor diesel foi a cervejaria “zum Hasen” em Augsburg. Este primeiro caminhão de cerveja esteve em serviço em Augsburg por décadas sem maiores problemas. O primeiro ônibus com motor diesel foi comprado pelo Reichspost em 1925.

Dois pontos a favor das vendas eram bastante óbvios desde o início: o baixo peso do veículo com o motor e a enorme economia de 80% nos custos operacionais comparados com os motores convencionais com carburador, da época. Estes eram os argumentos que os clientes consideraram muito persuasivos, mesmo naqueles dias. Na metade da década de 1920, a demanda no setor de caminhões aumentou a tal ponto que toda a produção de motores diesel para veículos comerciais foi transferida para a fábrica especialmente expandida em Nuremberg. 

Atualmente, Nuremberg continua sendo o centro de excelência para motores da MAN. Todos os motores para a inteira gama de produção são desenvolvidos, testados e em grande parte fabricados e montados ali. 

 

Fonte

Comunicação
MAN Latin America


© Copyright 2011 - LF Caminhões
Plínio Arlindo de Nês, 4100 D
Bairro Belvedere
Chapecó - Santa Catarina
Fone: (49) 3319-5500
Desenvolvido por